O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, vai à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, no próximo dia 19, prestar esclarecimentos sobre as mensagens divulgadas no último fim de semana pelo site The Intercept. A informação foi confirmada nesta terça-feira (11) pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), no Twitter.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Moro esteve no Senado na tarde desta terça-feira (11). A visita não estava na agenda oficial do ministro. Segundo Alcolumbre, o próprio ministro se dispôs a comparecer na CCJ para prestar esclarecimentos.

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB) sugeriu uma audiência pública e a presidente da CCJ, senadora Simone Tebet (MDB-MS), agendou a oitiva de Moro para a próxima quarta-feira, dia 19 de junho, às 9 horas.

+ Leia mais: Plenário do STF vai analisar prisão em 2ª instância

“Manifestamos nossa confiança no ministro Sergio Moro, certos de que esta será uma oportunidade para que ele demonstre a sua lisura e correção como juiz federal, refutando as críticas e ilações a respeito de sua conduta à frente da Operação Lava Jato”, disse Bezerra em um ofício encaminhado a Alcolumbre.

O ministro deve ser indagado sobre as notícias divulgadas pelo site The Intercept no último domingo (9). O site publicou uma série de supostas mensagens entre o coordenador da Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) de Curitiba, Deltan Dallagnol e demais membros da força-tarefa. Há mensagens em que Dallagnol trataria de detalhes das investigações com o então juiz do caso, Sergio Moro.

Reunião com Bolsonaro

Até agora, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem buscado não trazer a polêmica envolvendo Moro para dentro do Palácio do Planalto. Na manhã desta terça-feira (11), o presidente se reuniu com o ministro para tratar do assunto no Planalto.

+ Leia mais: Redução gradual do número de cobradores de ônibus é aprovada por vereadores

Em seguida, os dois foram à Cerimônia de Comemoração do 154º Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo. O ministro da Justiça foi condecorado pelo presidente no evento, com a Medalha do Mérito Naval.

CPI do vazamento

Nesta terça-feira (11), os deputados federais Filipe Barros (PSL-PR) e Carlos Jordy (PSL-RJ) apresentaram um requerimento para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar “a interceptação e violação de sigilo de dispositivos celulares dos membros do Ministério Público Federal participantes da Operação Lava Jato, ministro da Justiça, Sergio Moro e demais autoridades”.

A Polícia Federal também investiga a suposta ação de hackers que invadiram os celulares dos membros da Lava Jato.

Governo consegue crédito extra que ‘salva a pele’ de Bolsonaro