O Ministério da Educação (MEC) planeja centralizar as compras de uniformes, móveis escolares e medicamentos para hospitais universitários da mesma forma que já faz com ônibus e barcos para transporte escolar. A ideia é usar a capacidade do MEC de fazer um pregão nacional para obter preços menores para Estados e municípios que se interessarem em participar de uma espécie de consórcio.

A intenção é que secretarias estaduais e municipais se unam ao ministério e façam as compras por meio de um só pregão. Com isso, diminuiria a burocracia e os preços seriam melhores. Com o potencial de atingir um negócio que atenda 50 milhões de alunos da educação básica, consórcios de empresas se apresentariam para fazer toda a venda, com um preço único.

A compra de uniformes está em estudo. A proposta foi apresentada pela Associação Brasileira de Indústria Têxtil, por prefeitos e parlamentares. O MEC esclarece que os uniformes não seriam pagos apenas pelo governo federal, mas também pelos Estados e municípios.