São Paulo – Depois de 22 dias fechado, o Museu de Arte de São Paulo (Masp) está reaberto para visitação pública a partir de nesta sexta-feira (11). O museu reabre com as exposições internacionais Tatsumi Orimoto, do Japão, e Caçadores de Sombras, da Espanha. Além disso, estarão expostas as obras recuperadas Retrato de Suzanne Bloch, de Pablo Picasso e O Lavrador de Café, de Candido Portinari, roubadas na madrugada de 20 de dezembro.

De acordo com o comunicado da diretoria do museu, a reabertura do Masp ?está sendo efetuada com as novas medidas de segurança implementadas em parceria com a Policia Militar, a Guarda Civil Metropolitana e as empresas GP Guarda Patrimonial e LG Security System, que doou ao Masp o mais avançado sistema de segurança existente em museus de todo o mundo?.

Na noite de ontem (9) o Ministério Público Estadual determinou que o museu divulgue, o mais rápido possível, o relatório do Departamento de Controle do Uso de Imóveis da prefeitura (Contru), do Corpo de Bombeiros e os dados contábeis de 2007. O Ministério Público anunciou também que fará uma perícia técnica de todo o acervo do museu e seus registros.

Segundo a assessoria de imprensa do Ministério Público, o resultado da perícia servirá para confrontar esses dados com as investigações em andamento sobre a situação do Masp. Os principais pontos a serem monitorados, segundo o comunicado do Ministério Público, dizem respeito à segurança das obras e à administração financeira.

?Não obstante a recuperação das obras roubadas do Masp, fruto exclusivamente da competência da Polícia do Estado de São Paulo, o Ministério Público, a Secretaria Estadual da Cultura e a Secretaria Municipal da Cultura expressam preocupação com as condições de segurança do acervo do museu e, sobretudo, com a situação financeira e contábil do Masp?, diz a nota do Ministério Público.