São Paulo

– A campanha da prefeita Marta Suplicy (PT), que disputa a reeleição, é uma das mais caras da história eleitoral de São Paulo. A prefeita petista declarou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) um limite de R$ 15 milhões para seus gastos. Diante das acusações de adversários de que a candidata petista está fazendo uma campanha milionária, Marta alega que o tucano José Serra registrou o mesmo valor no TRE.

Mas o fato é que a campanha de Marta e dos vereadores do PT é muito mais visível nas ruas de São Paulo do que a dos adversários. Faixas e cartazes dos petistas podem ser vistos em praticamente todos os postes e viadutos. A campanha petista mobiliza também um exército de cabos eleitorais.

O Datafolha divulgou uma pesquisa segundo a qual nada menos do que 20% dos 7,7 milhões de eleitores paulistanos receberam visitas de cabos eleitorais de Marta em suas casas. Os visitadores de Serra atingiram apenas 2% dos domicílios.

O PT não divulga quantos cabos eleitorais foram contratados, mas estima-se que o exército pago petista pode chegar a quatro mil pessoas que nada têm a ver com os antigos militantes do partido. Eles receberiam, segundo informações de mercado, salários de R$ 500 a R$ 800 por mês.

Dos 20% de eleitores visitados, 63% receberam kit com propaganda eleitoral. O alvo é a preocupante rejeição à candidata, hoje superior a 30%.