Maceió – O presidente nacional do PT, José Genoino, foi hostilizado, ontem pela manhã, por manifestantes contra a reforma da Previdência, quando participava de um debate com militantes do partido, no auditório do Sindicato dos Bancários de Alagoas, no centro de Maceió (AL). Xingado de “traidor”, Genoino precisou sair pela porta dos fundos do auditório, para evitar confronto com os manifestantes -sindicalistas ligados a entidades de servidores públicos federais e estaduais.

Com apitos, faixas e gritando palavras de ordem, cerca 50 manifestantes invadiram o auditório, quando o líder petista fazia a defesa do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A invasão provocou um tumulto generalizado e resultou na suspensão do debate. Por pouco manifestantes e militantes do PT não entram em confronto. Sem ter como falar devido ao barulho no local, Genoino se retirou do auditório e foi para o hotel, onde estava hospedado desde a noite de quinta-feira.

Genoino atribuiu o incidente a “pessoas despreparadas e provocadoras”. Segundo ele, “trata-se de um grupo de 15 elementos que agiram ao estilo dos que promoveram a baderna no Congresso Nacional, na terça-feira”. Para ele quem impede o debate político é autoritário e intransigente. “Lamento que alguns poucos servidores públicos estejam perdendo a cabeça, mas essas provocações não nos amedrontam”, garantiu o dirigente do PT.

No início da manhã, antes de se dirigir para o local do debate, Genoino concedeu entrevista a uma emissora de TV e criticou a senadora Heloísa Helena (PT-AL), que tem se posicionada contra a reforma da Previdência proposta pelo governo. Segundo Genoino, se a senadora se abster ou votar contra a reforma da Previdência no Senado estará automaticamente expulsa do partido. “Ela é madura o suficiente e sabe que no PT a lei funciona assim: ou voto com o partido ou está fora”.

Genoino disse ainda que Heloísa está se fazendo de vítima, “mas a vítima é o partido”. O presidente do PT disse ainda que ser governo é assumir o ônus e o bônus. “Infelizmente tem gente que só quer assumir o bônus”, ironizou. Segundo ele, em seis meses de governo, o presidente Lula já conseguiu domar a inflação, baixar o dólar, conquistar o respeito do exterior e criar condições para o País crescer de 3,5% a 4% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano.

Também em Porto Alegre, houve protestos. Uma manifestação promovida pela Federação Sindical dos Servidores Públicos Estaduais do Rio Grande do Sul (Fessergs), mostrou que a marcação sobre os parlamentares do PT que votaram a favor da reforma da Previdência será implacável.