São Paulo (AE) – O Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo denunciou ontem à 2.ª Vara Criminal Federal o deputado eleito e ex-prefeito Paulo Maluf (PP) e mais dez acusados de montar um ?internacional e complexo esquema de formação de quadrilha com o objetivo de lavar dinheiro oriundo de corrupção?.

Segundo o Ministério Público, parte do dinheiro de corrupção é proveniente das obras da antiga Avenida Águas Espraiadas – atual Jornalista Roberto Marinho -, realizada na última gestão de Maluf na Prefeitura de São Paulo (1993-1996).

De acordo com o MPF, os recursos foram para a conta Chanani, em Nova York, e, de lá, rumo a quatro contas no paraíso fiscal de Jersey, no Reino Unido.

O dinheiro depois foi investido na Eucatex, empresa da família do deputado eleito e ex-prefeito de São Paulo. Da família de Maluf, foram denunciados a ex-primeira-dama Sylvia Lutfalla Maluf; os filhos Flávio, Ligia, Lina e Otávio; a nora Jacqueline Coutinho Maluf e o genro Maurílio Miguel Maurílio Curi, além de Hani B. Kalouti, Roger Clement Haber e Myrian Haber.