A Polícia Federal informou que “mais de 50” dos 86 chilenos que foram notificados a deixar o Brasil, por terem invadido o Maracanã na quarta-feira passada, pouco antes do jogo entre Chile e Espanha, pela segunda rodada do Grupo B da Copa do Mundo, já foram embora. Eles tinham até a meia-noite de sábado para isso. Quem ficar no País será deportado.

Oitenta e oito torcedores do Chile sem ingresso entraram no Maracanã, mas dois deles, que já moram no Brasil, não precisarão voltar para casa. A PF deverá divulgar ainda neste domingo a situação dos 36 chilenos que já deveriam estar fora do País. Eles não poderão pisar em solo brasileiro durante a Copa.

Na invasão ocorrida pouco antes do jogo entre Chile e Espanha, o grupo de chilenos furou o bloqueio da polícia, forçou a entrada, pulou a grade, invadiu o Centro de Mídia da Fifa no Maracanã, quebrou vidros das portas e armários usados para guardar equipamentos de jornalistas e derrubou divisórias. Eles tentaram pular o muro para chegar às arquibancadas e ver a partida, mas foram parados neste momento.