Porto Príncipe (Haiti) – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não tomará a iniciativa de retirar do Congresso a proposta que cria o Conselho Federal de Jornalismo (CFJ). Apesar das críticas ao projeto, o presidente só o retiraria do Congresso se houvesse um pedido expresso da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), que elaborou a proposta e encaminhou ao Palácio do Planalto.

O presidente, segundo seus assessores, tem dito freqüentemente que não entende o motivo de tanta polêmica na categoria. Lembra sempre que foi a Fenaj, a entidade que representa a categoria, que pediu que a proposta fosse enviada ao Congresso. E que a assumiu como uma proposta da categoria justamente por acreditar no sindicalismo e na luta de classes.

Depois de ter surpreendido com críticas aos jornalistas, quando disse que são um “bando de covardes” por não defenderem a criação do Conselho de Jornalismo, Lula procurou anteontem demonstrar apreço pela imprensa. Fez questão de citar os jornalistas presentes em duas ocasiões: ao discursar no aeroporto da capital do Haiti e depois ao falar às tropas brasileiras que comandam a Força de Paz da ONU no país.