Lula: muitas vezes uma parceria
vale mais que uma lei.

Rio – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem que a saída para o desenvolvimento do País está na educação. Lula afirmou também que nem sempre a lei nesse País é executada em sua plenitude, citanto, como exemplo, a Constituição Federal, que prevê o direito à escola para todos.

Entretanto, o presidente alertou que este direito não é acessível a muitos brasileiros. “Só deixaremos de ser um país de terceiro mundo quando todos os brasileiros disserem que vão estudar porque querem cuidar de si e de suas famílias”, disse Lula, ao participar da solenidade de formatura de cerca de 13 mil jovens e adultos do estado do Rio de Janeiro, alfabetizados pela segunda etapa do programa “Sesi – Por um Brasil Alfabetizado”.

Lula reiterou que o governo vai fazer o possível para melhorar a educação do País e, conseqüentemente, melhorar a imagem do Brasil no cenário internacional. Anunciou que no próximo ano vai realizar um estudo nas quarta e oitava séries das escolas públicas para avaliar a qualidade do ensino. “A partir desse estudo, vamos descobrir que os próprios educadores precisam passar por um processo de educação, pois existem alunos na 4.ª série que não sabem ler ou fazer uma conta”, acrescentou.

Em seu discurso, o presidente enfatizou ainda a necessidade de se fazer parcerias para realizar ações que levem o Brasil para a frente: “Muitas vezes, uma parceria vale mais do que uma lei. A vontade vale mais do que uma lei”. Lula aconselha alfabetizados a não abandonarem os estudos. O presidente aconselhou também os jovens e adultos recém-alfabetizados a seguirem seu exemplo. “Se um filho de pais analfabetos chegou à Presidência da República, vocês podem chegar muito mais alto do que os livros dizem – é só ter vontade.”

Lula reiterou que o governo tem feito a sua parte, mas é preciso que cada brasileiro seja determinado. “Estamos abrindo uma janela para que vocês se libertem da mentira dos governantes, da escuridão do analfabetismo e do desconhecimento. Não parem de estudar. Às vezes a preguiça faz a gente não fazer as coisas. Vocês tiveram a primeira luz. Não a abandonem”, frisou o presidente.

No discurso, Lula lembrou que “Jesus Cristo, o homem mais poderoso do mundo, fez o que fez sem ter o poder. Ele não tinha poder, mas tinha autoridade moral e ética, vontade de fazer, de servir”. Destacou, também, a determinação do líder indiano Mahatma Gandhi, que “libertou aquele país do império britânico com sua força de vontade, dignidade e autoridade moral”.

Em discurso na solenidade de formatura de cerca de 13 mil jovens e adultos alfabetizados, um dos alunos, Miguel Francisco da Silva, de 40 anos, contou que nunca tinha ido à escola até o ano passado, quando ingressou no projeto. E acrescentou: “Não saber escrever e ler é uma forma de escravidão”. Miguel Francisco da Silva é bisneto de escravo e pertencente à comunidade quilombola de Santana, no Rio. O formando disse que o seu maior sonho era ser alfabetizado. “Hoje é um dia de vitória para mim. Jamais pensei que pudesse ler um discurso para pessoas”, afirmou.