O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira (14) que ficará menos tempo em Brasília no primeiro semestre e mais tempo viajando pelo Brasil para anúncios de início de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Quanto mais obras nós inauguramos, mais ordens de serviços fazemos e é mais emprego, salário e renda", disse.

Lula também negou que irá priorizar visitas a cidades governadas por prefeitos do PT, como hoje em Araraquara, no interior paulista, município comandado por Edinho Silva, presidente estadual do partido em São Paulo. Ele deu como exemplo a visita que fará a São Paulo na próxima semana, onde irá anunciar um pacote de obras na capital paulista. "Lá o prefeito é dos Demos (em referência ao partido dos Democratas) e quem vai estar comigo no palanque é o prefeito (Gilberto Kassab)", afirmou.

O presidente disse ainda que o País não pode parar por causa das eleições. "Se eu pensasse em eleições, eu não teria feito um acordo com o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), no valor de R$ 8 bilhões, e outro acordo de R$ 4 bilhões com o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB).