O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende ir à Bolívia encontrar com o presidente daquele país, Evo Morales, ainda este ano. A data ainda não foi marcada.

De acordo com Amorim, a decisão de promover ou não mais investimentos por parte da Petrobras, na Bolívia, para acesso ao gás, é uma decisão técnica que a Petrobras tem que tomar. De acordo com ele, o governo acompanha a questão. "Existe uma necessidade de gás bastante evidente (do Brasil). O cliente natural da Bolívia (para fornecimento de gás) é o Brasil", disse.

Ele afirma que com o Brasil crescendo a 5% ao ano, como o governo deseja, vai haver necessidade de mais energia. "Vai ter que vir de vários lugares, mas quanto mais vier do Brasil e da região, melhor", disse Amorim.

O ministro participou da "Segunda Conferência Nacional de Política Externa e Política Internacional – o Brasil e o mundo que vem aí", realizada no Palácio Itamaraty, no Rio.