Em entrevista veiculada hoje (16) à noite no programa do jornalista Bóris Casoy, na TV Record, o candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, criticou o que qualificou como ?vulnerabilidade excessiva? da economia.

No início da entrevista, Lula negou que tenha responsabilizado o governo atual pela crise que abalou o mercado financeiro nas últimas semanas. ?Não acho que o governo provocaria essa crise, seria uma insanidade. Mas a economia está tão dependente do mercado externo que ficamos vulneráveis. A economia está tão vulnerável que não pode brincar?, disse o candidato ao jornalista Bóris Casoy.

Lula confirmou o lançamento de seu programa de governo no dia 30. ?Vamos expôr nossos compromissos públicos. Não somos de rasgar contrato. Vamos cumprir os acordos. O que podemos estabelecer são novos parâmetros na renegociação de alguns contratos.?

Ele afirmou ser o candidato da ruptura. ?Sou a ruptura com a tradição dos Bragança, serei o primeiro Silva a assumir o governo desse País?, declarou, referindo-se às famílias tradicionais.

        Diálogo – O candidato do PT ressaltou que quer mudar o modelo econômico, utilizando a capacidade de investimento do Estado para criar empregos. Ele criticou a falta de diálogo do presidente Fernando Henrique Cardoso. ?Falta um presidente para chamar a socidade para dialogar e discutir objetivos de médio e longo prazos. Fernando Henrique ficou isolado no Palácio do Planalto.?

Perguntado sobre o Acordo de Livre Comércio das Américas (Alca), Lula responder ser favorável à liberalização do comércio  desde que os países possam disputar em condições de igualdade. ?Precisamos brigar para que os Estados Unidos parem de subsidiar a agricultura contra nós. Aceitar as coisas do jeito que os Estados Unidos querem impor não é integração.?