Brasília – O líder do PSB, senador Renato Casagrande (ES), pediu que o PMDB escolha um candidato ?equilibrado? para ocupar a vaga de presidente da Casa deixada nesta terça-feira (4) por Renan Calheiros (PMDB-AL).

?Cabe ao PMDB escolher um candidato equilibrado que não transforme a presidência numa trincheira de luta com o governo e com a oposição?, disse.

Casagrande foi o relator da primeira representação contra Renan Calheiros, a que investigou se ele usou dinheiro de funcionário de uma empresa para pagar contas pessoais. Renan acabou absolvido da acusação em plenário.

?A decisão do PMDB será importante para que possamos manter e ter, no ano de 2008, maior unidade?, disse.

?Gostaria muito que houvesse um candidato que unificasse o Senado, para que pudéssemos sair da briga e da disputa entre base aliada e oposição. Seria bom se pudesse ter uma candidatura que nos desse unidade, integração e articulação entre os partidos em 2008, para que pudéssemos recuperar parte do tempo perdido com o debate desgastante que estamos tendo e tivemos em 2007?, acrescentou.

A senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), também relatora da primeira representação, disse que a Casa ?tem a obrigação de ouvir a sociedade?. Ela ressaltou que vai manter o voto que deu no primeiro julgamento de Renan: a favor da cassação.

?Vim aqui nesta tarde dizer que em nenhum momento mudei o meu jeito de ser e de pensar. Acredito naquilo que sociedade pensa a respeito de certas condutas que são fundamentais e são importantes para o político. E isso não muda, não muda numa semana, não muda no mês seguinte. A ética, a decência, a forma de ver a política têm de ser perenes?, afirmou.

O senador Marco Maciel (DEM-PE), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), recomendou, em seu discurso, que o plenário acolha o parecer do senador Jefferson Péres (PDT-AM) que recomenda a cassação do mandato de Renan Calheiros.