O juiz de Direito Gildo Meneghello Júnior, da Vara Criminal de Santana do Livramento, prorrogou a prisão temporária de Luan Barcelos da Silva, 21 anos, suspeito de matar três taxistas na cidade fronteiriça e mais três em Porto Alegre durante a Semana Santa. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, 17, ao final do prazo estipulado pelo primeiro mandado, e atende solicitação da Polícia Civil, que está apurando o caso.

Apesar de ter obtido a confissão, a investigação ainda quer comprovar se o que o rapaz disse é verdade e, para isso, vai tomar depoimentos de pessoas que conviviam com ele e submeter material colhido no local dos crimes à perícia. É o caso, por exemplo, de exames de DNA dos restos de sangue encontrados nas roupas de Luan.

A série de assassinatos ocorreu nas madrugadas de 28 de março em Santana do Livramento e 30 de março em Porto Alegre. A polícia rastreou os telefones celulares que o matador havia levado e analisou imagens de câmeras de segurança das ruas por onde ele passou. No sábado, 13, prendeu Luan, que confessou ter matado os taxistas para roubar dinheiro para pagar um aluguel atrasado. A polícia tem informações de que o aluguel foi pago na sexta-feira, o que retiraria a justificativa do matador para a segunda série de ataques. Luan está preso na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas, na região metropolitana de Porto Alegre.