Pará

– O juiz Jeferson Schneider, do Mato Grosso, decretou a prisão preventiva do ex-senador Jader Barbalho e de outras oito pessoas ligadas ao grupo Pirâmide, pelo seu envolvimento no caso Sudam. Eles são acusados de desviar R$ 246 milhões da empresa. O procurador do Estado Pedro Taques disse que a prisão de justifica pelo alto valor envolvido na acusação. Edson Messias, advogados do ex-senador, disse que vai aguardar o comunicado oficial para entrar com pedido de habeas-corpus.

Ele afirmou que Jader está viajando pelo interior do Estado para cumprir sua agenda de campanha. O ex-superintendente da Sudam, Arthur Guedes Tourinho, que também teve pedido de prisão decretado, está em Belém mas não foi encontrado para falar sobre o caso. A Segunda Vara da Justiça Federal do Maranhão ouviu ontem o depoimento de dois envolvidos no projeto Usimar. Alexandre Falcão e Jorge Murad são acusados de desviar R$ 44 milhões da Sudam para a construção da fábrica de autopeças. Falcão foi subgerente de indústria e comércio do Estado de 1999 e 2000 e Murad, ex-secretário de Planejamento e Desenvolvimento Econômico do Maranhão na época que o projeto foi aprovado. Eles são acusados, entre outros crimes, de peculato e estelionato qualificado.

O processo ainda está na primeira fase, mas se condenados podem pegar até 26 anos de prisão. O procurador federal Nazareno Wolff, do Pará, disse anteontem que considera já haver provas suficientes para sustentar uma condenação do ex-senador Jader Barbalho (PMDB-PA) nos desvios do projeto Usimar.