Brasília

– O presidente do STF, Nelson Jobim, defendeu ontem a criação de um tribunal de ética dos jornalistas. “O bom seria se a categoria formasse um tribunal de ética. Poderia até ser uma autarquia, desde que tivesse autonomia”, afirmou ele, ao falar sobre a criação do Conselho Federal de Jornalismo (CFJ). O presidente do STF admitiu que não conhece o projeto apoiado pelo governo, mas afirmou que “não pode ter cerceamento da liberdade de imprensa”. De acordo com Jobim, os instrumentos atuais de punição para jornalistas, como ações de indenização e criminais, não têm resolvido o problema. O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo, disse que considera dispensável a criação do Conselho, apoiada pelo presidente Lula. Ele disse que já existem no Brasil mecanismos suficientes para punir os excessos, como as ações penais e de indenização. “