O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse nesta quarta-feira (31) que "tem esperança" de que os militares consigam um aumento salarial até o final deste ano. "É a esperança e vou trabalhar junto ao governo", declarou o ministro ao final de audiência pública na Câmara. Segundo ele, há uma "questão emergencial provisória" para o aumento dos salários dos militares, que tem de ser solucionada. O estudo que existe no Ministério da Defesa aponta para um reajuste de 27,62%, sendo 11,24% retroativo ao mês de setembro e 11,71% em setembro de 2008.

Jobim não quis confirmar se endossará estes índices do estudo, alegando que eles estão ainda em análise. Ele também não quis falar sobre a discussão de concessão de reajustes diferentes para quem é da ativa e quem é da reserva. "Vamos ter de estudar isso com mais tempo agora. Temos uma questão emergencial provisória e depois virá a discussão ampla e definitiva", disse.

No entanto, o deputado Jair Bolsonaro, rechaçou a possibilidade de concessão de reajustes diferenciados e declarou que tem certeza de que os comandantes militares não concordarão com isso. Jobim participou hoje de uma audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, na Câmara dos Deputados, onde debateu temas relacionados à remuneração dos militares federais e ao reaparelhamento das Forças Armadas.