O Itamaraty demonstrou hoje preocupação com a possível rotulação, como terroristas, das comunidades que vivem na região da fronteira entre o Brasil, o Paraguai e a Argentina.

Indiretamente, referiu-se às populações de origem palestina presentes nessa área. A preocupação consta de nota emitida na tarde de hoje com o objetivo de repudiar informações publicadas pela mídia internacional nos últimos dias de que há grupos terroristas na tríplice fronteira.

De acordo com o texto, as autoridades brasileiras e dos dois países vizinhos realizam, na mesma região, ?rigorosa vigilância? sobre indivíduos e grupos suspeitos de relações com organizações terroristas internacionais há mais de dez anos.

O Brasil igualmente mantém sua disposição de cooperar com as equipes de inteligência de outros países, com o objetivo de identificar atividades ligadas ao terror, como as remessas de dinheiro. Por enquanto, ressalta a nota, nem o Brasil nem outros governos dispõem de provas de atividades terroristas na região.