As primeiras investigações indicam que foi o erro de um técnico, e não sabotagem, a causa da pane de anteontem no centro de controle de tráfego aéreo de Manaus (Cindacta-4). O problema impediu a chegada de vôos internacionais ao País e reeditou as piores cenas do apagão aéreo nos aeroportos domésticos. Domingo, o efeito cascata da ?barbeiragem? ainda provocou atrasos em pouco mais de 44% dos vôos no País.

Depois de o governo ter levantado a hipótese de sabotagem, o comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, seguiu ontem para Manaus, por ordem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Saiu, segundo uma autoridade, convencido de que a hipótese de sabotagem é remota.

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) apurou que a causa principal da pane foi o erro do técnico de eletricidade de plantão. Ao fazer uma conexão errada, ele cortou o sistema de alimentação de energia externa e, com isso, os dois geradores de emergência não puderam funcionar. ?Os controladores, ao contrário das primeiras suspeitas, agiram de forma exemplar, ajudando no retorno do sistema à normalidade?, disse um oficial.