O Ministério da Integração Nacional amplia até o final do ano para 286 o número de municípios com alto risco de desastres naturais que são monitorados para agilizar as ações emergenciais. Esse grupo de municípios sofre principalmente com estiagem ou excesso de chuvas. O monitoramento é feito de Brasília pela Secretaria Nacional de Defesa Civil 24 horas por dia. As informações são da Agência Brasil.

Desses municípios, 46 estão na região nordeste, onde ocorre a pior seca dos últimos 30 anos. Na região norte são 30 os municípios monitorados, e na região sul, 59. A maior quantidade de municípios está região sudeste, com 144, sendo 47 só no Estado de São Paulo. A menor quantidade está no centro-oeste: sete.

Enquanto isso, sul e sudeste sofrem principalmente com o excesso de chuvas, ocorrendo em alguns Estados, como Paraná e Santa Catarina, vendavais e chuvas de granizo. Atualmente, o ministério monitora cerca de 200 municípios no país com maior incidência de desastres naturais.

Para amenizar a situação, cerca de 80 municípios receberão, no início de 2013, picapes, aparelhos de GPS e computadores. Ao todo, o governo federal vai investir R$ 15,6 bilhões em medidas de prevenção. Somente para combater os efeitos da estiagem no nordeste, já foram investidos mais de R$ 3 bilhões.

De acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), até janeiro de 2013, no norte e nordeste, a probabilidade de ocorrência de chuvas está abaixo do normal (40%). Já para o leste da região sul, a chance de chover está acima do normal. As demais regiões estão dentro do esperado para a época do ano.