O inquérito policial sobre a morte da inglesa Cara Marie Burke, de 17 anos, morta e estrangulada pelo goiano Mohhamed D’Ali Carvalho dos Santos, de 20 anos, será entregue à Justiça nos próximos 10 dias. É o prazo em que a polícia de Goiás espera obter a confirmação do exame de DNA do tronco da garota – a cabeça e os membros superiores e inferiores ainda não foram localizados.

Por meio de diligências, que se intensificaram no final de semana, a polícia pretende concluir a checagem de todas as informações que foram levantadas sobre Mohhamed D’Ali, para em seguida acusá-lo formalmente por homicídio, dilaceração e ocultação de cadáver, crimes que somados prevêem punição com pena de 36 anos de prisão.

Mohammed já confessou o crime: “Eu a matei, sim, e esquartejei para facilitar o transporte”, disse ao delegado Carlos Raimundo Lucas Batista, um dos responsáveis pelo inquérito e investigação. A polícia colheu provas, como traços de sangue na sala, cozinha e banheiro do apartamento onde o casal vivia.

Também apreendeu um celular onde Mohammed tirou uma foto chocante – a cabeça sobre tronco, no boxe do banheiro. Mas ainda busca localizar uma testemunha-chave. Trata-se de um rapaz conhecido por Carlinhos, que teria cedido o veículo para Mohammed transportar o corpo esquartejado e espalhar pela cidade.