Índios do Parque Nacional Indígena do Xingu libertaram nesta quarta-feira (31) os 11 funcionários da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) reféns há oito dias na Aldeia Pavuru, no norte do Mato Grosso. Os reféns foram transferidos de avião para cidades de Canarana e Sinop, no norte do Estado. Todos passam bem. Um dos motivos do protesto foi a exoneração do chefe do Distrito Sanitário Especial Indígena do Xingu (Dsei), Jamir Ferreira, que foi reconduzido ao cargo, além de alterações no programa de saúde no parque.

Segundo as primeiras informações, os funcionários da Funasa – um médico, um nutrólogo, um dentista e técnicos de diferentes áreas – não sofreram agressões ou maus tratos. O coordenador estadual da Funasa, Marco Antonio Santangerlin, disse que não irá promover mudanças na área de saúde a fim de evitar conflitos com os índios do Xingu.