Dois laudos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) divulgados nesta sexta-feira (14) comprovaram que os incêndios ocorridos no Hospital das Clínicas nos dias 24 de dezembro do ano passado e 23 de janeiro desse ano foram criminosos. Os documentos indicam que pelo menos uma pessoa teve participação nos incêndios. A polícia de São Paulo também investiga o caso.

No primeiro incêndio, segundo o IPT, foram encontrados cabos elétricos cortados, o que, segundo o laudo, "permite concluir que tais fatos consistem na causa mais provável do inicio do fogo". Por causa deste incêndio, mais de 4 mil consultas tiveram de ser reagendadas. O IPT afirma, no entanto, que não foram encontrados indícios de que algo foi usado para acelerar o incêndio e, logo, "não se pode comprovar que o incêndio foi deliberadamente provocado". No segundo incidente, em um depósito foram encontrados vestígios do uso de álcool, o que "faz concluir que o incêndio foi deliberadamente provocado".