Crianças da zona oeste do Rio de Janeiro, com idade de 6 meses a 5 anos, ganharam nesta terça-feira mais dois novos Espaços de Desenvolvimento Estudantil (EDI). O objetivo da prefeitura é ampliar o número de vagas em creches e pré-escolas dos bairros de Bangu e Realengo.

Os EDIs contam com berçários, sala de atividades, refeitório, sala de amamentação e fraldário, além de uma estrutura sustentável que faz o reaproveitamento da água da chuva para serviços de limpeza e jardinagem. A secretária municipal de Educação, Cláudia Costin, destacou a importância da entrega dos novos espaços por se tratar de uma área com índice populacional de destaque na cidade.

Cláudia também lembrou o esforço que vem sendo realizado para reduzir o número expressivo de analfabetos funcionais na rede de ensino municipal que, em 2009, chegava a 28 mil estudantes. O sistema de aprovação automática foi apontado pela secretária como grande causador do problema. “Crianças que estavam há seis anos na escola não se alfabetizavam e continuavam indo para frente. Nós baixamos de 14% das crianças com analfabetismo funcional para 6,5% no final do ano passado”, afirmou.

Ainda de acordo com Claudia Costin, até 2020 todas as escolas municipais do Rio vão contar com turno integral, que começou a ser implantado em 2011. Até agora, 114 escolas já receberam a nova grade horária. “É aula por sete horas e mais duas horas de oficinas, para os pais que precisam que a criança fique mais tempo [na escola], portanto nove horas”, disse.

Na construção dos dois novos espaços, a prefeitura investiu R$ 4,9 milhões. Juntas, as duas creches vão atender mais de 300 crianças. A Secretaria Municipal de Educação também anunciou para o início deste ano a inauguração de mais 10 EDIs, além de 7 escolas de ensino fundamental. Com a entrega dessas unidades, a expectativa é oferecer mais de 3 mil vagas para o ensino fundamental e 1.250 para a educação infantil. As informações são da Agência Brasil.