O presidente Luiz Inácio Lula da Silva classificou de "insensatez pura" e "falta de sensibilidade política" a discussão de uma proposta de um terceiro mandato consecutivo para ele, defendida por alguns parlamentares da base aliada ao governo. O presidente informou nesta segunda-feira (5) que vai cobrar do PT a definição de uma posição sobre esse assunto. Por outro lado, a condenação do presidente à idéia de um terceiro mandato vinha sendo cobrada com insistência por líderes da oposição.

"Acho que é insensato qualquer pessoa ficar discutindo um terceiro mandato", afirmou o presidente. "Neste momento, o Brasil não está precisando discutir 2010, 2014 ou 2020. O Brasil está precisando discutir o bom momento que está vivendo. E a gente deve cumprir o que a gente se comprometeu com o povo, o que está no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento da economia) e tudo aquilo que vai ser feito na educação e na tecnologia. Fora isso, é insensatez pura, falta de sensibilidade política.

Lula entrou no tema de uma segunda reeleição ao responder a uma pergunta sobre as mudanças na Constituição da Venezuela, que permitem ao presidente da República a reeleição por um número indefinido de vezes. "Eu posso falar pelo Brasil. Eu penso que o Brasil não pode brincar com uma coisa chamada democracia. Nós demoramos muito, e muita gente sofreu para consolidá-la. Eu era contra a reeleição de um mandato, por que seria favorável a uma reeleição de outro mandato?", indagou Lula.