Belém

– Fiscais do Ibama no Pará apreenderam ontem no Rio Atuá, arquipélago do Marajó, uma serraria completa instalada sobre uma balsa. A descoberta de serraria flutuante é fato inédito na Amazônia e demonstra a sofisticação dos crimes ambientais cometidos contra a floresta. O maquinário instalado na balsa é de fabricação alemã e todo automatizado.

Os equipamentos e mais o custo de montagem da indústria madeireira estão avaliados em mais de R$ 500 mil. A serraria, montada no leito da embarcação, dispõe de fitas circulares e capacidade para serrar milhares de metros cúbicos de madeira, e ainda dois contêineres ultilizados como escritório e para armazenar e esquentar a madeira serrada na balsa.

Os resíduos produzidos pela indústria madeireira flutuante eram jogados nos rios da região, poluindo o meio ambiente. A bordo foram encontrados 300 metros cúbicos de madeira em tora e 25 metros serrados das espécies pará-pará e marupá.