Agentes da Divisão de Homicídios da Baixada prenderam o técnico em refrigeração Geovane Breia, de 25 anos, acusado de matar e esquartejar a namorada, em Paracambi, na Baixada Fluminense. Breia confessou o crime e disse que matou a namorada numa briga por ciúmes. Ele teve a prisão temporária decretada pela Justiça.

Breia cometeu o crime na terça-feira, 30. Ele disse que estava na casa da namorada, Andreia Oliveira Pinto, de 37 anos, que se identificava como professora de cursos a distância da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, em seu perfil no Facebook. Segundo o técnico de refrigeração, ele desferiu um soco na namorada durante uma briga e ela teria morrido em decorrência desta agressão. Dois dias depois, decidiu cortar o corpo da namorada em três pedaços e jogar na caixa d’água da casa.

Breia atendia os telefones de parentes de Andreia, que procuravam por ela, e respondia as mensagens como se fosse a namorada. Uma pessoa da família desconfiou e foi até a casa dela. Achou o corpo por causa do mau cheiro que exalava da caixa d’água. O técnico de refrigeração foi preso em São Gonçalo, no Grande Rio, na tarde de domingo, 5.

De acordo com o delegado Evaristo Pontes Magalhães, Breia não demonstrou arrependimento. Ele disse que decidiu esquartejar a namorada porque não sabia o que fazer com o corpo. O casal estava junto havia dois meses. Na véspera do crime, Breia escreveu no Facebook: “Andreia Oliveira, tomo (sic) junto”.