A Polícia Federal de Uberaba informou que a quadrilha de hackers alvo da Operação Muro de Fogo, realizada nesta terça-feira (4) em Minas Gerais, Goiás e no interior de São Paulo, aliciava até menores nos crimes. De acordo com a PF, eles eram utilizados para conseguir os boletos bancários usados na consolidação dos golpes.

O delegado Ricardo Ruiz Silva, da Polícia Federal de Uberaba, comandou a ação de hoje. Dos 42 presos, 40 foram detidos em Uberaba (MG), um em Goiânia (GO) e outro em São Joaquim da Barra cidade do interior paulista. Os agentes recolheram, entre outras coisas, computadores e monitores de última geração, utilizados nas fraudes. Na casa de um dos acusados, foram apreendidos R$ 72,3 mil em dinheiro.

Os golpistas serão indiciados em inquérito por formação de quadrilha, corrupção de menores e golpes pela internet, entre outros crimes. A Polícia Federal de Uberaba não forneceu os nomes dos criminosos para não prejudicar a continuidade das investigações.