O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, notificou nesta quinta-feira (23) a empresa Gulliver para dar explicações sobre o processo de troca ou ressarcimento do brinquedo Magnetix, fabricado pela canadense Mega Brands e comercializado no Brasil pela Gulliver. O DPDC, por meio de sua assessoria, informou que foram dados cinco dias úteis, a contar da notificação, para que a empresa dê as explicações.

A assessoria da Gulliver confirmou que recebeu a notificação e informou que pretende prestar os esclarecimentos em reunião com os dirigentes do DPDC na próxima semana, em Brasília. Semelhante ao caso da Mattel, que anunciou recall de brinquedos com ímãs que podem se soltar e pôr em risco a saúde das crianças, o órgão de defesa do consumidor quer saber o nível de informação da empresa brasileira sobre os problemas dos brinquedos e seus possíveis prejuízos às crianças.

Na semana passada, o DPDC abriu um processo administrativo contra a Mattel por "não apresentação imediata do recall" dos produtos suspeitos. O órgão investigará ainda se a empresa sabia ao colocar os produtos no mercado, do risco à saúde e à segurança que os brinquedos representam para o consumidor. A empresa está sujeita ao pagamento de multas de R$ 200 a R$ 3 milhões, segundo o Código de Defesa do Consumidor (CDC), caso o DPDC conclua que houve prejuízo aos consumidores.

A Gulliver vendeu 35.000 produtos da linha Magnetix no Brasil em 2006. São brinquedos com esferas metálicas e hastes plásticas com ímãs em suas extremidades que permitem que as crianças montem objetos. O produto é fabricado na China pela empresa canadense Mega Brands e vendido aos brasileiros pela Gulliver.