Brasília – O senador Geraldo Mesquita (PMDB-AC) acaba de anunciar, em plenário, seu voto contrário à prorrogação até 2011 da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Com isso, são quatro os senadores peemedebistas contra o governo nessa matéria ? Jarbas Vasconcelos (PE), Mão Santa (PI) e Pedro Simon (RS) ?, de um total de 20.

PSDB e DEM, principais partidos da oposição, somam 27 senadores. Com os quatro do PMDB, o número de votos contrários chega a 31. São necessários 33 para derrubar a proposta de emenda à Constituição que prorroga o imposto.

Mesquita disse que vai apresentar, em plenário, uma emenda ao texto do relator Romero Jucá (PMBD-RR) condicionando a aprovação da matéria a um referendo que seria realizado junto com as eleições municipais do próximo ano.

?Voto contrário, a não ser que o governo assuma o compromisso de transferir essa decisão para referendo popular nas próximas eleições. Apresentarei uma emenda em plenário neste sentido?, afirmou o senador.

Jucá mantém a previsão de colocar a matéria em votação, em primeiro turno, na próxima quinta-feira (6).