O ministro da Justiça, Tarso Genro, destacou nesta sexta-feira (10) que o destino do traficante colombiano Juan Carlos Ramírez Abadía, preso na terça-feira pela Polícia Federal, será decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). "A vertente dominante para a abordagem desse caso indica que ele primeiro cumpriria as penas pelos crimes que cometeu aqui (no Brasil) e depois seria extraditado, mas o Supremo pode excetuar isso".

No Brasil, Abadia é acusado de lavagem de dinheiro e ilegalidades fiscais. Na Colômbia e nos Estados Unidos, é acusado de tráfico de drogas. Os dois países querem a extradição.