Brasília – O presidente do PT, José Genoino, disse que os quatro parlamentares que votaram contra o governo na reforma da Previdência e estão ameaçados de expulsão do partido estão se fazendo de vítima. O petista estava se referindo à conduta da senadora Heloísa Helena (AL) e dos deputados Luciana Genro (RS), João Batista Babá (PA) e João Fontes (SE).

Para Genoino, o PT sempre garantiu a liberdade de expressão, mas não admite que os votos dos parlamentares sejam contrários às decisões do partido. “Se me mostrarem um gesto de boa vontade desses parlamentares com o PT, faço uma avaliação. Mas não houve nenhum, seja discurso ou voto. Acho que eles fizeram uma opção por se tornarem vítimas. Quem está sendo vítima é o PT, de ataques injustos. Se o PT liberar o voto, não tem mais bancada nem partido. Querem que o PT vire um aglomerado?”, indagou Genoino.

Ele disse que os parlamentares tomaram uma decisão unilateral e lembrou que o PT não está inovando ao punir a falta de fidelidade às decisões partidárias. Ele citou o caso dos três deputados que foram expulsos do partido ao votarem no Colégio Eleitoral na candidatura de Tancredo Neves.

Genoino evitou polêmica com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Maurício Corrêa, que insinuou que sua chácara foi vistoriada depois que ele fez críticas ao PT. “Não vou polemizar com o presidente do STF. Queremos ter uma relação institucional.”