Belo Horizonte – O lavrador Valdemar Lopes de Moraes, de 39 anos, foi à uma policlínica da cidade de Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, para tratar de uma dor de ouvido que há dias vinha lhe incomodando, mas acabou sendo submetido a uma vasectomia. O inusitado fato ocorreu no dia 14, na Policlínica Carlos Espírito Santo.

A gerência do posto de saúde atribuiu o equívoco médico a uma confusão na hora da chamada. Segundo a gerente da policlínica, Vanessa Godinho, no mesmo dia havia sido marcada uma cirurgia de vasectomia em Aldemar Aparecido Rodrigues, de 29 anos.  Quando a recepcionista do posto, Ionir Almeida, chamou por Aldemar, o lavrador achou que o seu nome é que havia sido pronunciado e se encaminhou para a sala do urologista. O médico Luiz Carlos Lenoir chegou a se surpreender quando percebeu que as genitálias de Valdemar não haviam sido depiladas. Ele conta que questionou o lavrador sobre a cirurgia. Este, no entanto, não revelou seu real problema e não se opôs em nenhum momento à operação. “Eu pensei que já era caxumba e tinha descido, mas não perguntei, nem falei nada”, disse o lavrador.