Antônio Cruz / ABr
Antônio Cruz / ABr

Maria Christina entregou
convite de jantar em Taiwan.

Brasília (AE) – A ex-mulher do ex-deputado Valdemar Costa Neto, presidente do PL, Maria Christina Mendes Caldeira, apareceu ontem de surpresa na reunião do Conselho de Ética da Câmara para entregar aos deputados o convite do governo de Taiwan para um jantar com a participação de representantes de parlamentares brasileiros, entre os quais estaria o presidente do PL, que teria feito parte da mesa de honra. Segundo Maria Christina, esse é o jantar de que Costa Neto negou ter participado em seu depoimento de ontem na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Mensalão.

Ela entregou o convite ao presidente do conselho, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), mas o documento não foi apresentado à imprensa. ?Eu já me desquitei do Valdemar. Está na hora de o PL se desquitar dele também?, disse Maria Christina.

Costa Neto participou ontem da reunião do Conselho e confirmou o depoimento prestado na última terça-feira na CPMI. Havia sido combinado que Costa Neto responderia durante 30 minutos somente às perguntas do deputado Jairo Carneiro (PFL-BA), relator do processo contra o deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), e do advogado que representa Jefferson. Ele conversou com o Conselho por cerca de uma hora. Costa Neto foi ao Conselho para evitar que houvesse algum motivo que levasse à anulação do processo de cassação contra Roberto Jefferson, uma vez que o PL foi autor da representação. Para o deputado Ricardo Izar, o depoimento de Costa Neto não ?acrescentou muito, quase nada? ao processo.

Dinheiro da SMP&B

O ex-deputado Valdemar Costa Neto retificou, em seu depoimento ao conselho, a informação que dera à CPMI do Mensalão sobre a origem do dinheiro que recebeu do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, em 2002. Costa Neto afirmou que 80% do dinheiro teria vindo da SMP&B, agência de publicidade do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, mas que ele desconhecia a origem dos 20% restantes, que foram pagos em dinheiro. Ontem, no entanto, Valdemar afirmou que todo o dinheiro veio da SMP&B. ?Tenho convicção de que o dinheiro era da SMP&B?, disse Costa Neto.

Ele confirmou as declarações de que nunca existiu mensalão e que essa foi uma história inventada pelo presidente licenciado do PTB, deputado Roberto Jefferson (RJ). ?Ele sabia que, se falasse em caixa 2, não haveria repercussão?, disse Costa Neto.

O ex-deputado também negou que sua ex-mulher Maria Christina Mendes Caldeira tenha servido de tradutora em viagem que ele fez a Taiwan. A ex-mulher afirmou, em depoimento ao conselho, que, nessa viagem, Costa Neto teria ido em busca de dinheiro para financiar a campanha. De acordo com ele, durante a viagem, Maria Christina ficava fazendo tour em Taiwan e participou apenas de um jantar.

Jefferson

Costa Neto confirmou que foi procurado por deputados do PTB, que lhe propuseram um acordo para que retirasse a representação que fez ao Conselho de Ética contra o deputado Roberto Jefferson. ?Eles queriam que eu jogasse uma bóia. Foi essa a expressão que usaram. Um salva-vidas?, disse, observando que, se ele transferisse a representação contra Jefferson do Conselho de Ética para a Corregedoria da Câmara, como queriam os emissários de Jefferson, este teria oportunidade de renunciar ao mandato.

Costa Neto, que havia cancelado sua ida ao Conselho de Ética, alegando estar cansado, acabou comparecendo depois de ser informado de que havia o risco de a defesa de Jefferson aproveitar uma brecha para questionar o processo de cassação movido por ele (Valdemar) contra o presidente licenciado do PTB.