Brasília – Cerca de 30 funcionários demitidos da Varig fizeram hoje na CPI do Apagão Aéreo da Câmara um protesto contra a venda da empresa. Vestidos com camisetas presas com a frase O Brasil em Luto. Luta!, eles afixaram nas paredes da sala duas faixas com as frases Nós somos Varig e a outra com a mesma das camisetas.

A manifestação foi durante a audiência pública com o deputado estadual Paulo Ramos (PDT-RJ), que presidiu a CPI da Assembléia Legislativa do Rio que investigou a venda da Varig. Os manifestantes querem que a CPI da Câmara também investigue o processo.

Para o vice presidente da Associação de Pilotos da Varig, Marcelo Duarte Lins ?a CPI da Venda da Varig tem tudo a ver com a CPI do Apagão Aéreo?. Para ele o a chamado apagão aéreo não teve origem depois dos acidentes com os aviões da TAM ou da Gol.

?Eles já foram conseqüência dessa crise, do desmonte do setor aéreo, que passa efetivamente, pelo desmonte da Varig, pela venda criminosa da Varig, pela entrega desse capital brasileiro às empresas estrangeiras, praticamente terminando com a aviação comercial brasileira?.

Segundo o deputado Paulo Ramos, o grupo de investimentos americano Matlin Petterson, vencedor do leilão da Varig em junho de 2006, pagou pela empresa por cerca de US$ 20 milhões e, meses depois, a vendeu à GOL por US$ 320 milhões. Para ele os três empresários brasileiros que participaram do negócio podem ser vistos como ?laranjas?.

?É altissimamente suspeito?, afirmou Ramos, antes de sugerir que a CPI quebre os sigilos fiscal, bancário e telefônico dos compradores. Para o deputado, a transação ?foi um crime de lesa-pátria?.

O deputado Vic Pires (DEM-PA), integrante da comissão, disse que vai pedir à assessoria do seu partido que faça um requerimento para abertura de uma CPI na Câmara para investigar a venda da Varig. Ele disse que pretende começar hoje a colher as assinaturas.