Todos os 73 estudantes da Universidade de São Paulo (USP) pagaram fiança de R$ 545 e foram liberados do 91º Distrito Policial (DP), na zona oeste de São Paulo. O último aluno preso deixou o local às 3h45 de hoje.

Cerca de 70 estudantes ficaram na frente da delegacia gritando palavras de ordem, como “Greve” e “Prenderam 73, agora são milhares lutando de uma vez”. Cada vez que um aluno preso passava para o Instituto Médico Legal (IML), ao lado da delegacia, era aplaudido pelos manifestantes. Quando os estudantes liberados se reuniam ao grupo, eles exibiam o alvará de soltura enquanto se juntavam ao coro.

Uma das alunas soltas, a estudante de Ciências Sociais da Fundação Santo André, Maíra Machado, de 29 anos, disse que, no momento da reintegração, os estudantes foram colocados sentados de frente para a parede e de costas para os policiais, e que os PMs separaram os homens das mulheres em duas salas. Afirmou ainda que houve abusos por parte da polícia, e que ouviu uma colega gritando em outro ambiente. A coronel da PM Maria Aparecida afirmou que “a reintegração foi pacífica”.

A aluna que disse ter ficado na sala separada, falou que os policiais usaram excesso de força para imobilizá-la, e taparam sua boca com as mãos para que ela não gritasse. Ela disse que mordeu a mão por não conseguir respirar, quando um policial teria colocado um objeto redondo em sua boca, causando um ferimento.