A ex-estagiária da empresa Petrocoque, de Cubatão, Carolina de Paula Farias, de 24 anos, foi condenada nesta quarta-feira a 30 anos e 4 meses de prisão pelo assassinato da colega Mônica Tamer Cruz de Almeida, de 42 anos, em dezembro de 2005, com o objetivo de ser efetivada na empresa. O julgamento terminou às 2h10 desta madrugada no Fórum de Santos, no litoral sul paulista, depois de mais de 16 horas de sessão.

Carolina foi acusada também de tentar matar a ex-mulher do seu chefe, Maria Aparecida de Campos, em setembro de 2005, para ficar mais próxima do então amante, e outra colega de trabalho, Renata Boreli, de 25 anos, em novembro do mesmo ano.

Durante o depoimento, no período da tarde, Carolina alegou que foi obrigada a confessar o assassinato durante o inquérito. Mônica foi executada a tiros quando saía de sua casa, em Santos, para trabalhar. Outras quatro pessoas envolvidas nos crimes estão presas.