Mais uma polêmica envolve o deputado federal Clodovil Hernandes (PR-SP). Dessa vez foi o arranjo natalino com o qual o deputado resolveu enfeitar a porta de seu gabinete que provocou desconforto ao setor responsável pela engenharia e arquitetura da Câmara. O departamento técnico negou a permissão para a instalação do ornamento, que extrapola os limites internos do gabinete, e ameaça retirar o enfeite de Natal, caso o deputado insista em mantê-lo.

Parecer da área de segurança condena instalações elétricas que fujam ao padrão da Casa. Além de questões técnicas, o impacto visual do enfeite provocou expressões como "exagerado" e "espalhafatoso". O enfeite da discórdia foi feito artesanalmente pelo próprio deputado: um toldo de bambu coberto por folhas secas de imbaúba, árvore nativa da Mata Atlântica, pintado de dourado e verde, seguindo o estilo barroco. Luzinhas pisca-piscas completam o arranjo que ocupa as duas portas do gabinete, em um comprimento estimado de três metros.

As duas portas também foram revestidas com painéis de vinil nas cores verde e amarelo com os desejos de "Feliz Natal" e "Feliz Ano Novo". A assessoria de Clodovil informou que o deputado levou um mês para confeccionar o arranjo e que a instalação do enfeite foi autorizada pelo departamento técnico da Casa. Clodovil está de licença médica, se recuperando em São Paulo de uma crise de hipertensão, e deverá voltar a Brasília na próxima semana.