Em meio a toneladas de escombros e vigas de ferro retorcido, um grupo de 15 peritos tenta encontrar os últimos vestígios de objetos pessoais das vítimas do vôo 3054 nos destroços do prédio da TAM Express. O trabalho está sendo coordenado pela BMS Catastrophe Global Commercial Services (BMS CAT), empresa americana especializada em ?resgatar? pertences em cenários de catástrofe. Nos últimos anos, atuou nos destroços do World Trade Center após o 11 de Setembro e nas áreas alagadas pela passagem do furacão Katrina, em Nova Orleans.

A varredura é minuciosa. Com a ajuda de pás, rastelos e enxadas, a equipe vasculha cada metro quadrado do terreno atrás de qualquer coisa que se assemelhe a um objeto pessoal. Nessa primeira fase, o critério para a escolha do que vai parar dentro dos sacos plásticos pretos ou de lona branca parece subjetivo. Pelas frestas dos tapumes de madeira que isolam a área, a reportagem pôde observar os peritos recolhendo pedaços de roupas plásticos retorcidos e muitos papéis chamuscados.