Recife – Agentes da Polícia Federal (PF), em parceria com a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, Polícias Civil e Militar do estado e com suporte do Ministério Público deflagraram ontem a Operação Aveloz, com o objetivo de desarticular uma quadrilha formada por policiais, pistoleiros e empresários que atuavam na área de Caruaru, agreste do estado. Pelo menos 20 pessoas já foram presas.

As investigações tiveram início ainda na primeira quinzena de fevereiro de 2007, por iniciativa conjunta de autoridades das esferas federal e estadual. A quadrilha atuava de diversas maneiras, como uma ?empresa de homicídios?, que atendia a uma variada demanda de empresários, agiotas, pessoas contrariadas e desafetos em geral.

A Polícia Federal constatou que de 3 a 4 homicídios eram cometidos semanalmente pelos criminosos, produzindo a estatística de aproximadamente 200 homicídios por ano. Os preços das ?encomendas? variavam de R$ 1 mil a R$ 5 mil.

Foram cumpridos mandados de prisão preventiva, de busca e apreensão, de quebra de sigilo bancário e fiscal, de bloqueio de contas correntes e seqüestro de bens, na região do agreste pernambucano, no Pará e em Alagoas.

Foram alvos de prisão dois dos principais mandantes, que também funcionavam como financiadores dos crimes, e policiais militares com patentes de soldado a sargento. Os policiais chegavam antecipadamente à cena do crime, desfazendo os vestígios do homicídio, para garantir a impunidade dos cúmplices.

A operação foi executada por 350 policiais federais.