A Grande São Paulo registrou desde o começo do ano 122 casos de caixas eletrônicos atacados por ladrões, o que significa quase um por dia. Só na capital paulista houve 69 crimes desse tipo. No interior, foram 53. O levantamento, obtido pela reportagem, mostra que em uma em cada quatro ocorrências os criminosos usaram explosivos. Com medo, empresas de menor porte já têm pedido aos bancos para desativarem esses equipamentos.

Os dados mostram também o que já é evidente para quem acompanha o noticiário: os casos têm crescido mês a mês. Em janeiro, na capital paulista, foram registrados seis casos. No mês seguinte, foram 17; em março, 19; em abril, 20. Nos primeiros 11 dias deste mês houve sete ataques. No interior, também houve crescimento: 10 em janeiro, 29 em fevereiro, 30 em março, 40 em abril e 13 neste mês (até ontem).

Os bancos são o principal alvo dos bandidos, de acordo com o levantamento: 54 dos 122 casos foram ataques a agências bancárias. Depois, aparecem os mercados (24), postos de gasolina (14), interior de empresas (12), entre outros locais.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, a PM tem feito operações em regiões onde há concentração de estabelecimentos com caixas eletrônicos. As rondas têm ocorrido de madrugada, com bloqueios policiais e abordagens de veículos. Em nota, a Federação Brasileira dos Bancos (Febrabran) diz que o setor investiu em equipamentos “robustos”, com “elevado grau de resistência”, com o objetivo de aumentar a segurança dos mesmos. As informações são do Jornal da Tarde.