O presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu voltar a conversar com os líderes da base aliada para negociar um projeto que prevê piso de R$ 950 para professores do ensino médio que trabalham 40 horas por semana, disseram participantes do 30º Congresso da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Porém, o presidente lamentou que terá de negociar com ministros cortes até em programas sociais em razão da perda da arrecadação com o fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).

"É preciso investimentos, os professores ganham uma desgraça de salário e as escolas não têm infra-estrutura", disse Lula, segundo os professores. O presidente teria prometido que fará uma medida provisória para garantir o piso dos professores do ensino médio, caso os líderes da base aliada não consigam aprovar o projeto relativo ao assunto que está em tramitação na Câmara.

Segundo os educadores que estavam em uma audiência com o presidente, Lula comentou que ao menos dois programas do Ministério da Educação devem ser atingidos, o Médico na Escola e o Fonoaudiólogo na Escola. "Nós dissemos a ele que vamos defender o Ministério da Educação nesse processo de cortes", disse a presidente da CNTE, Juçara Maria Dutra Vieira.