O empresário Zuleido Veras, dono da Construtora Gautama e acusado de ser o pivô de uma quadrilha que fraudava licitações em vários Estados do País, descoberta pela Operação Navalha da Polícia Federal no ano passado, será ouvido besta terça-feira (29), na sede da PF em Salvador (BA), por deputados da Assembléia Legislativa do Distrito Federal que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Gautama. A expectativa é que seu depoimento seja amparado por um habeas corpus que lhe permite não responder às perguntas – estratégia usada, ontem, pela ex-diretora comercial da construtora, Maria de Fátima Palmeira, convocada para depor em Maceió (AL).