enkontra.com
Fechar busca

Brasil

Um ano depois

Caso Marielle Franco: PM e ex-PM são presos suspeitos do assassinato de vereadora

  • Por Gazeta do Povo
Veadora carioca Marielle Franco foi assassinada na última semana. Foto: Renan Olaz/CMRJ
Foto: Renan Olaz/CMRJ

Em uma operação conjunta do Ministério Público e da Polícia Civil do Rio de janeiro, dois homens foram presos nesta terça-feira (12) sob suspeita de ter executado a vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes em 14 de março de 2018. As prisões ocorreram por volta de 4h, com equipes reduzidas para não chamar atenção.

De acordo com o jornal “O Globo”, os mandados de prisão preventiva foram executados contra o sargento reformado da Polícia Militar Ronnie Lessa, de 48 anos, e Elcio Vieira de Queiroz, que foi expulso da Polícia Militar.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Ainda segundo o jornal carioca, Lessa foi preso em sua casa, no condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca – o mesmo onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa. O policial reformado teria entrado para a lista de suspeitos após ser vítima de uma emboscada um mês após o assassinato.

A prisão preventiva dos dois suspeitos foi determinada pelo juiz substituto Guilherme Schilling Pollo Duarte, do 4º Tribunal do Júri. Segundo a denúncia do Ministério Público, Lessa teria sido o autor dos disparos que mataram Marielle e Gomes, e Queiroz, o condutor do veículo usado no crime.

Conforme o MP, o crime teria sido “meticulosamente” planejado com três meses de antecedência.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Execução

Marielle foi morta em 14 de março de 2018 por volta das 21h40, quando voltava de um debate sobre racismo e cultura negra no Brasil. Ao menos dois carros seguiram a vereadora da porta do local do debate, na Lapa, até o bairro do Estácio, também no centro.

Um carro emparelhou com o da vereadora e pelo menos 13 tiros foram disparados. Os tiros – de pistola 9 milímetros – atingiram Marielle na cabeça e Anderson nas costas. Uma assessora que também estava no veículo sobreviveu. A execução ocorreu no primeiro mês da intervenção federal na segurança pública do Rio, decretada pelo então presidente Michel Temer.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

22 Comentários em "Caso Marielle Franco: PM e ex-PM são presos suspeitos do assassinato de vereadora"


Carlos Muniz
Carlos Muniz
1 mês 11 dias atrás

Na mesma semana que foi morta a “Mariele”, mataram uma médica em assalto no Rio e ninguém fala nada, mas, a vereadora envolvida em tudo quanto é tramoia no Rio, é endeusada pela imprensa marrom.

Mário
Mário
1 mês 11 dias atrás

Pq isso seria apenas um dia “normal” no Rio

Tiago Ribas
Tiago Ribas
1 mês 11 dias atrás

O sujo matando uma mal lavada, uma esquerdista inoperante!

Eunicio Souza
Eunicio Souza
1 mês 11 dias atrás

quem mandou matar bolsonaro? não vejo tanta preocupação com justiça por parte da “imprensa”

Daniel Tozzi
Daniel Tozzi
1 mês 11 dias atrás

PF conclui que Adélio Bispo agiu sozinho em atentado a Bolsonaro

Veja.com

Rogerio Reksidler
Rogerio Reksidler
1 mês 11 dias atrás

…tem muito coelho de dente nesse mato…

Bozo e Vovó Moro Anarfa
Bozo e Vovó Moro Anarfa
1 mês 11 dias atrás

Comentários direitosos ficam à vontade por aqui, né!

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas