Após confirmar o encontro entre o presidente Fernando Henrique Cardoso e o candidato da Coligação Lula Presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT-PL-PC do B-PCB-PMN), o presidente nacional do PT, deputado José Dirceu (SP), disse hoje, em nota, que o petista e o partido ?não aceitarão jogo de cena?. ?Não contem conosco para um jogo de cena que oculte ao povo brasileiro a necessidade de mudanças fundamentais no rumo do Brasil?, afirma.

Dirceu informa que a data da reunião ?será marcada de acordo com a mútua conveniência das agendas do presidente da República e do nosso candidato?. Porém, ele não confirma a informação de Brasília de que o encontro de Lula com Fernando Henrique acontecerá na quinta-feira (15).

Dirceu reafirma que a legenda tem consciência de que a crise financeira é ?grave?. ?Estamos dispostos a fazer o que estiver ao nosso alcance para, com a responsabilidade que nos cabe no processo político do País, ajudar a resolver a crise?, afirma, no comunicado.

O presidente nacional do PT afirma ainda que a crise acontece por causa ?dos graves erros? da política do governo. ?É indispensável uma nova política econômica para sair da vulnerabilidade em que nos encontramos.? Dirceu, que também é coordenador da campanha do candidato da Coligação Lula Presidente, diz que o acordo firmado pelo Executivo federal com o Fundo Monetário Internacional (FMI), na semana passada, ?não resolveu a questão?. Na avaliação do presidente nacional, o agravamento da crise brasileira levou Fernando Henrique a chamar  não apenas Lula, mas os demais candidatos a presidente para conversar.

Dirceu reitera que, se for eleito, a sigla honrará os pactos firmados. ?Mas nós nunca nos comprometemos em manter a atual política econômica. Pelo contrário, defendemos uma nova política?, afirma, acrescentando: ?Não aceitaremos (do presidente) pedidos de manutenção de política econômica e de integrantes do atual governo.?