A presidente Dilma Rousseff (PT) afirmou ontem em Manaus que já há uma “decisão política” para a prorrogação da Zona Franca de Manaus (ZFM) por mais 50 anos. Hoje, a ZFM está prorrogada até 2023.

“Essa prorrogação é mais que necessária. O que estamos fazendo é levantando um muro virtual de proteção da floresta e da biodiversidade”, afirmou Dilma. Segundo a presidente, havia um pensamento antes dessa decisão de não estipular um período, mas optou-se por determinar por 50 anos para ter garantida a legalidade do prazo.

Dilma afirmou ainda que há uma negociação para estender os benefícios fiscais para outros Estados da região norte ainda não contemplados, com o intuito de fazer da indústria uma alternativa à destruição da floresta amazônica.

BR – Questionada sobre se há planos para a conclusão da BR-319 (Manaus-Porto Velho), a presidente disse que a obra depende da resolução de “todas as pendências ambientais”.

A presidente anunciou ainda que estão “avançadas” as conversas para a Petrobras começar a explorar a silvinita em Nova Olinda do Norte, no sul do Amazonas. “Já está mais do que provado que precisamos de segurança alimentar, que passa primordialmente com a produção nacional de fertilizantes”, disse. O potássio é matéria-prima para a produção de fertilizantes.