O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) iniciou nesta quarta-feira (30) mobilização para que seja instalada uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista na Câmara e no Senado para investigar o uso irregular de cartões corporativos por ministros e outros funcionários da Presidência da República. O deputado tucano disse que recolherá as assinaturas assim que forem retomados os trabalhos legislativos, a partir da quarta-feira de cinzas.

A Controladoria Geral da União (CGU) vai investigar os gastos dos ministros da Secretaria Especial Política da Promoção da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro, e da Pesca, Altemir Gregolin. Sampaio argumentou, porém, que a tendência é de uma investigação lenta, enquanto a CPI tem 180 dias para concluir os trabalhos e, além disso, tem poder de juiz para convocar pessoas e quebrar sigilos fiscal, bancário e telefônico.

"Sem dúvida, será necessário quebrar sigilos e requisitar documentos. Em 2003, eu já havia pedido à Procuradoria Geral da União que investigasse o uso dos cartões. Temos que apurar quem está desviando dinheiro público usando cartão corporativo", afirmou Sampaio. O deputado defendeu que as investigações alcancem também o período do governo do presidente tucano Fernando Henrique Cardoso, que criou os cartões. "Não é uma questão partidária, é uma questão ética". Para instalar a CPI mista, são necessárias as assinaturas de pelo menos 171 deputados e 27 senadores.