Uma notícia sobre um pronunciamento do deputado Rafael Silva (PDT) na tribuna da Assembleia Legislativa de São Paulo contendo críticas ao governo estadual foi publicada na edição de 6 de outubro da imprensa oficial da AL com o texto modificado e com as críticas amenizadas. Nesta segunda-feira, 16, o deputado pediu à Corregedoria Parlamentar a apuração do que chamou de “censura” ao material jornalístico.

A notícia original, produzida pelo assessor de imprensa de Silva com o título “Demissão do secretário da Saúde”, trazia críticas ao governo estadual por não ter dado continuidade aos testes com a fosfoetanolamina sintética, substância desenvolvida pela Universidade de São Paulo (USP) e usada por pacientes com câncer. O deputado, segundo a nota, pediu ao governador a “exoneração do secretário David Uip” e, no caso de não atendimento, a do próprio governador.

A notícia publicada na edição oficial – e creditada ao assessor do deputado – fez menção à “continuidade dos testes da fosfoetanolamina” e retirou do texto as menções à exoneração do secretário e a crítica ao governador. De acordo com Silva, a matéria publicada é “totalmente divergente” da que foi enviada pela sua assessoria.

A assessoria de imprensa da AL informou que “não houve qualquer censura ao texto” e que o título foi mudado por dar a entender que o secretário foi demitido, o que não era o caso. Informou ainda que o espaço reservado às atividades dos parlamentares tem limites para texto e manchete, ao contrário do espaço para opiniões, que é mais amplo.