Deputado abre em público dados do airbus para provar que sigilo foi mantido

Brasília – Para provar que não houve vazamento de dados sobre as caixas-pretas do Airbus da TAM na Câmara, o presidente em exercício da Comissão Parlamentar de Inquérito do Apagão Aéreo, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) abriu há pouco o envelope retirado do cofre, com as informações recebidas ontem pela comissão.

?Esta comissão está sob suspeição de ter vazado (as informações)?, disse Cunha para justificar sua iniciativa de abrir o envelope na frente de todos os presentes à reunião.

O chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), brigadeiro Jorge Kersul Filho, que também participa da reunião, garantiu que não foi a CPI que vazou informações. ?Com certeza não houve nenhum vazamento nesta Casa. O áudio [com as conversas dos pilotos e da torre gravados em CD] precisa de um software específico. Seria impossível para a Casa ouvir. Se houve vazamento, não foi aqui e eu coloco o meu nome em jogo?, disse o militar.

Ele informou também que, além do áudio que requer tecnologia especial, o CD contém transcrições em inglês de diálogos e cerca de 60 parâmetros que permitem fazer a análise dos dados.

Os deputados discutem se vão divulgar os dados, já que o áudio não é possível por falta do programa específico.

Voltar ao topo