A Central Única dos Trabalhadores (CUT) promove na quarta-feira, 15 de agosto, o Dia Nacional de Mobilização da organização, que prevê uma série de manifestações em Brasília. O epicentro do evento será o Congresso Nacional, onde os sindicalistas vão pedir a retirada de projetos que, segundo eles, prejudicam os trabalhadores, como aqueles que podem restringir o direito de greve. A CUT espera reunir 15 mil pessoas nas manifestações.

Segundo a organização, o evento deve ter início às 10h, em frente à Catedral de Brasília, ponto de encontro das delegações, onde será realizado um ato político. Em seguida, os sindicalistas partirão rumo ao Congresso. Ao meio-dia, eles farão um abraço coletivo em torno dos prédios da Câmara e do Senado, com todos os militantes de mãos dadas. À tarde, as lideranças da CUT esperam ser recebidas por ministros e parlamentares, para debater a pauta de reivindicações, composta por oito itens.

Entre eles está a manutenção do veto do governo à Emenda 3, que proibia os auditores da Receita Federal de autuar ou fechar as empresas prestadoras de serviço constituídas por uma única pessoa, quando entendessem que a relação de prestação de serviços com uma outra empresa era, na verdade, uma relação trabalhista. Os sindicalistas querem também o fim do interdito proibitório, medida que, segundo os sindicalistas, proíbe os profissionais de protestar por melhores condições de trabalho e de se organizar para isso.